PCA Engenharia, Lda.
Nova Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado
 
ApresentaçãoObjectivosHistorialContactos
Projectos
> Empreendimentos
Passagens Inferiores Ferroviárias

A PC&A tem projectadas e construídas várias dezenas de passagens inferiores ferroviárias, incluindo em muitos casos a concepção da solução construtiva que permite manter em serviço a via durante a construção das obras.

As obras projectadas distribuem-se pelas várias linhas que cruzam o país:
Linha do Minho (19), Linha do Norte (10), Linha da Beira Alta (8), Linha da Beira Baixa (4), Linha do Oeste (3), Ramal de Tomar (2), Linha do Sul (2), Linha do Alentejo (2), Linha de Évora (1), Linha do Algarve (1).

Referem-se aqui apenas alguns exemplos representativos dos diferentes processos construtivos adoptados:

- PIR ao km 148+911 da Linha da Beira Baixa - obra de três vãos (11.8+19.9+11.8 m) com tabuleiro em betão armado pré-esforçado, construída pelo sistema de "top-down". A obra iniciou-se com o desvio da via férrea, seguiu-se a cravação de estacas, betonagem e pré-esforço do tabuleiro, reposição da via e posterior escavação sob o tabuleiro para dar continuidade à trincheira rodoviária. (Projecto: 2010; Cliente: OPWAY)

- PI ao km 79 558 da Linha do Norte, entre Santarém e Vale Figueira – tabuleiro com 12.0 m de largura, em via dupla, vão livre de 5.0 m, construída pelo processo de cravação por impulso hidráulico. (Projecto: 2003; Cliente: Construtora do Lena)

- Pi ao km 35 136 da Linha do Minho – tabuleiro com largura de 12.0 m e 9.5 m de vão livre foi executada em duas fases, mantendo sempre uma via em serviço, através de um processo de contenção provisória numa primeira fase e aterros armados com geogrelhas na segunda fase. (Projecto: 2000; Cliente: REFER)

- PI ao km 169 671 da Linha do Norte – localizada na Estação de Pombal, permite o acesso pedonal entre as várias plataformas da Estação. A passagem inferior tem um comprimento total de 57.0 m e vão livre de 6.0 m. Os acessos fazem-se através de escadas, dois elevadores e rampas com cerca de 150 m de desenvolvimento. Foi construída através de suspensão de via com várias frentes de contenção. (Projecto: 1999; Cliente: REFER)