PCA Engenharia, Lda.
Nova Ponte sobre o Rio Tejo no Carregado
 
ApresentaçãoObjectivosHistorialContactos
Projectos
> Empreendimentos
Ponte sobre o Rio Vouga na EN1

 

Minimize
A Ponte sobre o Rio Vouga localiza-se na EN1, no concelho de Águeda, distrito de Aveiro, e foi construída em 1980. Trata-se de uma estrutura de 15 vãos com uma extensão total de 556.0 m e uma largura de 16.0 m. O tabuleiro é de betão armado e pré-esforçado longitudinalmente, com tramos intermédios de 38.0 m e dois tramos extremos de 29.0 m. A ponte é constituída por duas estruturas contínuas e iguais, formadas por um tramo extremo e seis tramos intermédios, prolongando-se o último para o exterior do 7º pilar por meio de uma consola com 8.0 m de vão. Sobre as duas consolas, correspondentes às duas estruturas descritas, descarrega um tramo central simplesmente apoiado – tramo gerber – que vence o vão de 22.0 m existente entre elas.  

O tabuleiro é formado por quatro vigas longitudinais pré-esforçadas de altura variável e espessura constante e por carlingas aos terços de vão e sobre os apoios. Os catorze pilares, em betão armado, são constituídos por um fuste central de secção constante em toda a altura encimado por um capitel. As fundações dos pilares são indirectas, constituídas por um grupo de estacas, ou directas, através de sapata. Os dois encontros são em cofre de betão armado e possuem fundação directa. A ligação do tabuleiro aos pilares e encontros é efectuada por intermédio de articulações de chumbo munidas de ferrolhos.






 
   Face à informação recolhida, obtida através da inspecção principal, da análise dos resultados obtidos relativos aos ensaios de caracterização dos materiais e da avaliação estrutural, foi possível indicar os tipos de trabalho de reabilitação da obra de arte.

Estes trabalhos passam por reparar os danos visíveis, nomeadamente:

  • eliminar a fissuração e a delaminação e esmagamento existentes no betão;
  • executar uma pintura que previna a evolução da degradação do betão;
  • substituir os aparelhos de apoio do tramo gerber;





Para a substituição dos aparelhos de apoio será necessário construir torres provisórias, com cerca de 15.0 m de altura, no topo das quais serão instalados macacos hidráulicos para o levantamento do tramo gerber. Face às características dos solos estas torres possuam fundação indirecta - microestacas. Este trabalho será efectuado por semi-tramos gerber, permitindo que se mantenha a circulação alternada. As operações de levantamento/assentamento serão sincronizadas com a colocação/remoção de lastro sobre as consolas de modo a que se evitem alterações significativas no estado de tensão das secções do tabuleiro próximas do tramo gerber.